Terça-feira, 15 de Setembro de 2009

IRREDUTIVEIS À CAUSA AXADREZADA

 

 

Pois é, Boavisteiro de férias não esquece o que ama e por cidades tão diversas do Montenegro , Croácia e Bosnia como Dubrovnik,Split,Kotor,Budva,Mostar,Zadar,Zagreb,Neum,Pula,etc. ,alguns autocolantes foram "distribuidos" a que nem plantas de emergência dos hóteis escaparam e livros de visitas de museus devidamente assinados.Envio algumas fotos que tirei e uma onde está o cachecol foi tirada em Rovinj e o canhão e âncora do monumento tem tudo a haver com o Boavista : Precisamos de todas as armas para lutar , mas também precisamos de chegar a bom porto e atracar ! Abraços


JAMAIS DESISTIR - JUSTIÇA PARA O BOAVISTA ! 


publicado por Rapazes do Bessa às 19:13
| comentar | ver comentários (2)

VAMOS PARA CIMA DELES !!

 

O Boavista mostrou-se “satisfeito” com a confirmação, hoje, pelo Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa da ilegalidade da utilização das escutas como prova nos processos disciplinares contra o presidente da União de Leiria.

“O Boavista congratula-se com esta decisão, que vem provar que, mais uma vez, a justiça comum está a pôr em causa a justiça desportiva”, disse à Agência Lusa a administradora da SAD boavisteira Adelina Trindade Guedes.

O Boavista também sofreu na pele com a utilização das escutas telefónicas, pois foi baseado nelas que a Comissão Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional condenou o clube a descer da Liga para a Liga de Honra, uma decisão depois confirmada pelo Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol.

Os axadrezados foram punidos por coacção aos árbitros de jogos com Benfica, Belenenses e Académica, todos na temporada 2003/04.

O Boavista contestou logo as duas sentenças alegando que as escutas telefónicas não podiam ser utilizadas como meio de prova em processos disciplinares, como eram os seus e os do presidente do Leiria, João Bartolomeu.

De nada valeram os argumentos utilizados pelo Boavista, que, porém, não baixou os braços e, tal como Bartolomeu, recorreu à justiça comum para contestar a decisão tomada pelo CJ numa reunião polémica efectuada em 5 de Julho de 2008.

Os axadrezados recorrerem então para o Supremo Tribunal Administrativo (STA), já lá vai mais de um ano, pedindo “que seja anulada a reunião do Conselho de Justiça” e, assim, tomada uma nova deliberação.

“Estamos ainda à espera”, explica Adelina Trindade Guedes, convicta de que será dada razão ao Boavista, à luz do mais recente desenvolvimento deste processo, conhecido por Apito Final.

O Boavista pretende pedir “uma indemnização” à Federação Portuguesa de Futebol, se de facto o seu recurso para o STA obtiver vencimento.


publicado por Rapazes do Bessa às 11:22
| comentar | ver comentários (1)

MÁFIA ACIMA DA LEI !!

 

Cada um dos sete membros efectivos do Conselho de Justiça da FPF, e ainda Gilberto Madail, teriam de pagar diariamente quarenta euros enquanto não fosse cumprida na íntegra a ordem dada ontem pelo Tribunal Administrativo de Lisboa: desentranhar as escutas telefónicas do processo Apito Final, subcapítulo João Bartolomeu, e entregar as transcrições ao presidente do Leiria. Subentendido ficou que terão de voltar a julgar o recurso deste sem atender às referidas provas, porque a sentença que o arquivou passou a ser nula. As escutas já tinham sido consideradas ilegais pelo Supremo Administrativo há quase um ano, mas, na altura, a Federação optou por ignorar a sentença.

Ontem mesmo, as cédulas das transcrições telefónicas foram devolvidas pelos serviços federativos ao advogado de Bartolomeu, cumprindo os ditames do acórdão e poupando uns cobres à FPF. O dinheiro seria para o presidente do Leiria. No entanto, sobra muita margem para expectativa, embora Paulo Samagaio esteja certo de que, transitada a decisão em julgado, o CJ não tem remédio que não seja "avaliar o recurso outra vez". 

Em Dezembro último, os conselheiros não se sentiram obrigados a respeitar o Supremo. Começaram por ignorar, em Outubro, a sentença favorável a Bartolomeu - que confirmava a ilegalidade da utilização das escutas em processos disciplinares e ordenava que não fossem levadas em conta - e depois julgaram o caso fazendo justamente o contrário. Uma longa adenda explicativa justificava a opção, agora reprovada. "Quando verificamos que se tem de recorrer aos tribunais para forçar uma instituição de utilidade pública a respeitar uma decisão do Supremo, há razões para temer pelo Estado de Direito", comenta Paulo Samagaio. 

Sendo certo que esta nova deliberação não é aplicável nos processos relativos a FC Porto e Boavista, eles próprios encalhados no Tribunal Administrativo de Lisboa, os próximos desenvolvimentos são difíceis de prever. O Conselho de Justiça pode: a) recorrer da decisão, mesmo sabendo o que fará o Supremo; b) ignorar, sob pena de constituir omissão do dever de justiça; c) julgar o recurso outra vez; d) recomeçar do zero reenviando o processo à Comissão Disciplinar. Se o fizer, ganha fortes probabilidades uma quinta alínea: o arquivamento por prescrição


publicado por Rapazes do Bessa às 11:20
| comentar | ver comentários (1)

ESTÁ NA HORA DE VOLTAR À CARGA !!

 

Tribunal Administrativo de Lisboa considerou definitivamente ilegal a utilização das escutas telefónicas do Apito Dourado, no âmbito do processo de corrupção desportiva Apito Final...
O Tribunal Administrativo de Lisboa determinou que as certidões das escutas telefónicas ao presidente da União de Leiria, João Bartolomeu, no âmbito do processo “Apito Final”, lhe fossem devolvidas. Mas mais, foi considerado nulo o acórdão do Conselho de Justiça sobre a mesma matéria.

Recorde-se que João Bartolomeu foi punido, em Maio de 2008, com um ano de suspensão e multa de quatro mil euros no âmbito do processo “Apito Final”, em que União de Leiria e o seu presidente foram acusados de corrupção, na forma tentada, no jogo com o Belenenses da época 2003/04. Da decisão, resultou ainda uma multa de 40 mil euros à SAD leiriense.
 
Trata-se uma derrota da Comissão Disciplinar da Liga, mas também do Conselho de Justiça da FPF, com o Tribunal Administrativo de Lisboa a considerar definitivamente ilegal a utilização das escutas telefónicas do Apito Dourado, no âmbito do processo de corrupção desportiva Apito Final.  O advogado Paulo Samagaio, representante de João Bartolomeu, confirma a BB que recebeu esta manhã as respectivas certidões…

Com esta decisão, de que já não há recurso, o FC Porto e o seu presidente Pinto da Costa, a quem foram aplicados pela justiça desportiva a perda de seis pontos no campeonato de 2007/08 e uma suspensão de dois anos ao dirigente, podem solicitar a anulação dos castigos. Do mesmo modo, o Boavista, que desceu à Liga de Honra, decisão tomada também com base nas escutas telefónicas, poderá igualmente apelar.
Este é o entendimento de Paulo Samagaio sobre esta matéria…

Após esta decisão do Tribunal Administrativo de Lisboa, João Bartolomeu vai avançar com processos de indemnização contra a Liga e a FPF. Assim o garantiu também o advogado...


publicado por Rapazes do Bessa às 11:04
| comentar

pesquisar

 

Visitas

asp hit counter

Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


arquivos

Setembro 2011

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

eXTReMe Tracker
online